Assinatura RSS

Sobre o mundo do trabalho

Publicado em

Fonte: Conexão Sindical – Observatório Social <conexao@observatoriosocial.org.br>

Santo André sedia evento internacional “Ditaduras no Cone Sul – 50 anos depois”

Estão abertas as inscrições para o evento internacional “Ditaduras no Cone Sul – 50 Anos Depois”, que reunirá expressivos testemunhos de lutadores sociais do Continente, entre 9 e 11 de maio, no Teatro Municipal de Santo André.
TESTEMUNHOS – Já confirmaram presença pessoas que sobreviveram e combateram as ditaduras que infelicitaram a região, como o legendário símbolo da resistência peruana, Hugo Blanco; Carlos Caszely, o mais popular jogador da seleção chilena – que se negou a apertar a mão de Pinochet; Hildegard Angel, filha de Zuzu Angel e mãe de Stuart Angel Jones, dirigente do Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR8); Criméia de Almeida, da guerrilha do Araguaia, presa e torturada mesmo grávida de oito meses; João Vicente Goulart, filho do presidente João Goulart; senador paraguaio Sixto Pereira, ligado à resistência e ao movimento camponês do Paraguai; Oscar Olivera, dirigente sindical boliviano da resistência; Jose Lara Castro, ex Ministro de Relações Exteriores do Paraguai e membro da Comissão da Verdade e Justiça; Pascal Allende, sobrinho do presidente Salvador Allende e dirigente do MIR (Movimento de Esquerda Revolu cionária); e o ex-presidente da República do Paraguai, Fernando Lugo.
OPERAÇÃO CONDOR – O evento contribuirá para uma reflexão crítica a fim de evitar que fatos semelhantes nunca mais voltem a acontecer, trazendo à tona a promiscuidade dos militares do Cone Sul com o governo de Washington. Tais relações ficaram evidenciadas na Operação Condor, quando oficiais dos EUA assessoraram as Forças Armadas da região na perseguição, tortura e desaparecimento de milhares de operários, camponeses, intelectuais, artistas e escritores.
São esperados também Pepe Mujica, presidente da República Oriental do Uruguai, Luiz Inácio Lula da Silva, ex presidente do Brasil; Daniel Viglietti, compositor e cantor Uruguaio; Frei Betto, escritor; Loyola Guzman, ex guerrilheira boliviana que lutou com Che Guevara; Ivo Herzog, filho do jornalista assassinado Vladimir Herzog; Sergio Ricardo, compositor e cantor brasileiro; Adolfo Pérez Esquivel, prêmio Nobel da Paz, em 1980; Afonsinho, ex jogador de futebol; Joan Jara, viúva de Victor Jara entre outras personalidades.
Para homenagear as mães das pessoas que lutaram contra a ditadura será inaugurada uma exposição de fotos no dia 6 de Maio, no saguão do Teatro Municipal. O público vai poder conferir a exposição até o último dia do evento, no Dia das Mães.
Ditaduras no Cone Sul – 50 Anos Depois
Dia 9 de Maio – Abertura do Evento às 19h
Dias 10 e 11 a partir das 9h
Teatro Municipal de Santo André – Praça IV Centenário.
Mais informações acesse o site www.ditadurasnoconesul.com.br
Escrito por: SRI CUT

A política está chata? Vamos mudá-la

Está com o saco cheio da política? É possível mudar isso. Desde já, os movimentos populares estão convocando as pessoas para participar de um plebiscito – abaixo-assinado, no bom português – para aprovar a convocação de uma assembleia constituinte exclusiva para mudar o sistema político.
Essa assembleia vai realizar a reforma política. Um dos principais pontos dessa reforma será a proibição de que banqueiros e empresários deem dinheiro para a eleição de presidentes, senadores, deputados, prefeitos, vereadores.
Só essa mudança já faria uma grande diferença. Mas não basta. O sistema político precisa de mais. É preciso maior participação popular, transparência, controle do povo sobre o poder político, melhor uso do dinheiro público, entre outras coisas.
Para discutir o que precisa ser transformado, os movimentos populares estão chamando um plebiscito que vai acontecer entre os dias 1º e 7 de setembro, a Semana da Pátria.
A pergunta que será feita às pessoas será: “Você é favorável a uma Assembleia Constituinte e Soberana do Sistema Político?”. Se a maior parte das pessoas disser sim, abre-se o processo. Os organizadores estimam que de 10 milhões a 15 milhões vão participar. Haverá postos de votação em várias cidades.
Com essas assinaturas, a reivindicação chegará ao Congresso. E não serão deputados e senadores comuns que vão compor a Assembleia – por isso é chamada de exclusiva. O povo vai escolher parlamentares que terão a responsabilidade única de elaborar a reforma.
Assim que aprovada, a Assembleia vai debater as mudanças, com o povo acompanhando e pressionando.
A CUT é uma das entidades envolvidas na tarefa. Na sede da Central está funcionando a Secretaria Nacional Operativa do Plebiscito. Por todo o Brasil, já existem 300 comitês dedicados a essa bandeira, realizando cursos para formação de lideranças e divulgando a ideia.
Haverá uma plenária nacional nos dias 16 e 17 de maio, na Praça da República, capital paulista. Já existem mais de 160 entidades dos movimentos sociais envolvidas. “Nosso maior desafio é envolver as bases. Os sindicatos terão uma importância grande nesse trabalho que pode mudar o Brasil”, diz Lucas Pelissari, do Levante Popular da Juventude e um dos coordenadores da Secretaria Nacional Operativa. Para entrar em contato, use plebiscitoconstituinte ou facebook/plebiscitoconstituinte.
Para conhecer a cartilha preparada pelo movimentos sociais, clique aqui.
Confira as entidades apoiadoras:
1. A Marighella
2.Agenda Pública-SP
3. Agentes de Pastoral Negros do Brasil (APNs)
4. ALBA Movimentos
5. Articulação de Mulheres Brasileiras (AMB)
6. Articulação Paulista de Agroecologia
7. Assembleia Popular (AP)
8. Associação Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros (ABGLT)
9. Associação Brasileira de Imprensa (ABI)
10. Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (ABONG)
11. Associação Brasileira dos Estudantes de Engenharia Florestal (ABEEF)
12. Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraço)
13. Associação Brasileira dos Pesquisadores pela Justiça Social (ABRAPPS)
14. Associação dos Professores da PUC-SP (APROPUC)
15. Campanha Contra os Agrotóxicos e pela Vida
16. Cáritas Brasileira
17. Cáritas Diocesana São Paulo
18. Central de Movimentos Populares (CMP)
19. Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB)
20. Central Única dos Trabalhadores (CUT)
21. Centro de Direitos Humanos e Cidadania do Imigrante (CDHIC)
22. Centro de Estudos Apolônio de Carvalho
23. Coletivo de Entidades Negras (CEN)
24. Comissão Pastoral da Terra (CPT)
25. Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG)
26. Confederação Nacional das Associações de Moradores (CONAM)
27. Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro da CUT (CONTRAF/CUT)
28. Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino (CONTEE)
29. Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (CONFETRAF)
30. Conselho Indigenista Missionário (CIMI)
31. Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC)
32. Conselho Nacional do Laicato do Brasil (CNLB)
33. Consulta Popular
34. Coordenação dos Movimentos Sociais (CMS)
35. Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN)
36. Corrente Nacional do PT “O Trabalho”
37. Corrente Nacional do PSOL – Movimento Esquerda Socialista (mês)
38. Executiva Nacional dos Estudantes de Biologia (ENEBIO)
39. Federação das Associações de Moradores e Conselhos Comunitários do Piauí (FAMCC)
40. Federação dos Estudantes de Agronomia do Brasil (FEAB)
41. Federação dos Sindicatos de Engenheiros (FISENGE)
42. Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar (FETRAF)
43. Federação dos Trabalhadores da Agricultura Familiar da Região Sul (FETRAF-SUL)
44. Federação dos Trabalhadores do Ramo Financeiro dos Estados do RJ e ES (FETRAF/RJ e ES)
45. Federação dos Trabalhadores em Empresas de Crédito de São Paulo (AFUBESP)
46. Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado de Pernambuco (FETAPE)
47. Federação dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado de São Paulo (FTIUESP)
48. Federação dos Trabalhadores Rurais de Sergipe (FETASE)
49. Federação Nacional dos Urbanitários (FNU)
50. Federação Única dos Petroleiros (FUP)
51. Fórum Brasileiro de Economia Solidária (FBES)
52. Fórum de Combate à Corrupção
53. Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC)
54. Fórum Político Inter Religioso de Belo Horizonte
55. Frente de Lutas de Juiz de Fora
56. Frente de Lutas pela Moradia (FLM)
57. Frente Nacional dos Torcedores (FNT)
58. Frente Pró-Cotas de SP
59. Grito dos Excluídos
60. Grupo Junta Aí
61. Instituto de Direitos Humanos (IDH)
62. Instituto de Estudos Socioeconômicos (INESC)
63. Intersindical
64. Juventude da CUT
65. Juventude do PT (JPT)
66. Juventude Revolução
67. Kizomba
68. Levante Popular da Juventude
69. Mandato Deputada Estadual Inês Pandeló – PT/RJ
70. Mandato Deputada Federal Erica Kokay – PT/DF
71. Mandato Deputado Estadual Adriano Diogo – PT/SP
72. Mandato Deputado Estadual Cícero Magalhães PT/PI
73. Mandato Deputado Estadual José Ricardo – PT/AM
74. Mandato Deputado Estadual Rogério Correia – PT/MG
75. Mandato Deputado Federal Chico Alencar – PSOL/RJ
76. Mandato Deputado Federal Padre Tom – PT/RO
77. Mandato Deputado Federal Renato Simões – PT/SP
78. Mandato Vereador Gilberto Paixão PT/Teresina-PI
79. Marcha Mundial de Mulheres
80. Movimento Camponês Popular (MCP)
81. Movimento de Ação e Identidade Socialista (MAIS)
82. Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE)
83. Movimento de Moradia da Região Centro de São Paulo (MMRC-SP)
84. Movimento de Moradia para Todos (MMPT)
85. Movimento Nacional Fé e Política
86. Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB)
87. Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA)
88. Movimento dos Trabalhadores Cristãos (MTC)
89. Movimento dos Trabalhadores Desempregados (MTD)
90. Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Campo (MTC)
91. Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)
92. Movimento Mística e Revolução (MIRE)
93. Movimento Nacional Contra a Corrupção e pela Democracia (MNCCD)
94. Movimento Nacional de Rádios Comunitárias (MNRC)
95. Movimento Nacional Fé e Política
96. Movimento Nacional pela Soberania Popular frente à Mineração (MAM)
97. Movimento Organizado dos Trabalhadores Urbanos (MOTU)
98. Movimento Popular Pró Moralização do Legislativo (MPMPL/Juiz de Fora-MG)
99. Movimento Reforma Já
100. Movimento Social Escolar – Betim-MG (MSE)
101. Partido Comunista do Brasil (PcdoB)
102. Partido Comunista Revolucionário (PCR)
103. Partido dos Trabalhadores (PT)
104. Pastoral Afro
105. Pastoral da Juventude (PJ)
106. Pastoral da Juventude Rural (PJR)
107. Pastoral da Moradia
108. Pastoral do Migrante
109. Pastoral Operária (PO)
110. Plataforma dos Movimentos Sociais pela Reforma do Sistema Político
111. Povo Pataxós
112. Povo Tupinambás
113. Rede de Educação Cidadã (RECID)
114. Rede Ecumênica da Juventude (REJU)
115. Rede Fale
116. Rede Nacional de Advogados Populares (RENAP)
117. Sindicato dos Advogados do Estado de São Paulo (SASP)
118. Sindicato dos Bancários de Santos e Região
119. Sindicato dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região
120. Sindicato dos Eletricitários de São Paulo (SINTESP)
121. Sindicato dos Eletricitários de Campinas-SP
122. Sindicato dos Engenheiros no Estado do Paraná (SENGE-PR)
123. Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (SENGE-RJ)
124. Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP)
125. Sindicato dos Gráficos do Pará
126. Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo
127. Sindicato dos Metalúrgicos da Baixada Santista
128. Sindicato dos Metalúrgicos de Limeira e Região
129. Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região (SINDMETAL SJC)
130. Sindicato dos Metalúrgicos do ABC
131. Sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista – Santos-SP (SINDIPETRO Santos)
132. Sindicato dos Professores de Pernambuco (SINPRO-PE)
133. Sindicato dos Professores de São Paulo (SINPRO-SP)
134. Sindicato dos Professores do ABC (SINPRO ABC)
135. Sindicato dos Profissionais em Educação no Ensino Municipal de SP (SINPEEM)
136. Sindicato dos Psicólogos do Estado de São Paulo (SINPSI-SP)
137. Sindicato dos Químicos de São José dos Campos
138. Sindicato dos Químicos de São Paulo
139. Sindicato dos Radialistas de São Paulo
140. Sindicato dos Servidores Públicos da ALESP (SINDALESP)
141. Sindicato dos Servidores Públicos de Santo André
142. Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Curitiba (SISMUC-PR)
143. Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino (SINDIFES)
144. Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente (SINTAEMA-SP)
145. Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados, Serviços de Informática e Similares do Estado do Ceará (SINDPD-CE)
146. Sindicato dos Trabalhadores em Saúde e Previdência no Estado de São Paulo (SINSPREV)
147. Sindicato dos Trabalhadores Metalúrgicos de Belo Horizonte (SINDMETAL)
148. Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública de Pernambuco (SINDSEP-PE)
149. Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública no Município de São Paulo (SINDSEP-SP)
150. Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil de Campinas e Região (SINTICOM)
151. Sindicato dos Trabalhadores na Indústria de Energia de Florianópolis e Região (SINERGIA)
152. Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas do Estado de RR (STIURR)
153. Sindicato dos Trabalhadores no Comércio de São Bernardo do Campo e Diadema (SINTRACOM SBC)
154. Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Estadual de SC/Lages (SINTESPE Lages/SC)
155. Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Florianópolis-SC (SINTRASEM)
156. Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde no Estado de São Paulo (SINDISAÚDE-SP)
157. Sindicato Único dos Trabalhadores de Educação em Minas Gerais (SINDUTE)
158. Sindicato Unificado dos Petroleiros do Estado de São Paulo (SINDIPETRO-SP)
159. Tendência Interna do PT – Esquerda Popular Socialista (EPS)
160. União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES)
161. União Catarinense dos Estudantes
162. União da Juventude Socialista (UJS)
163. União Estadual dos Estudantes de Minas Gerais (UEE-MG)
164. União Estadual dos Estudantes do Rio de Janeiro (UEE-RJ)
165. União de Negros pela Igualdade (UNEGRO)
166. União dos Movimentos de Moradia (UMM)
167. União Nacional dos Estudantes (UNE)
168. Via Campesina Brasil
169. Vicariato para a Ação Social e Política – MG
Escrito por: Isaías Dalle

Anúncios

Sobre antimanicomialsp

A Frente Estadual Antimanicomial de São Paulo surgiu do processo de organização da IV Conferencia de Saúde Mental - Intersetorial etapa São Paulo. Onde diversas organização, movimentos, entidades e militantes se uniram e realizaram a Plenária Estadual de Saúde Mental (diante da não convocação por parte do Governo do Estado de São Paulo). A idéia da Frente surgiu dessa experiência de organização da IV Conferência e também diante da conjuntura de rearticulação do setor manicomial e de ataque as conquistas do Sistema Único de Saúde, que exige atividades unificadas entre os mais diversos movimentos e organizações antimanicomiais. Visando aglutinar forças para defender a Reforma Psiquiátrica Antimanicomial e o SUS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: